ARTIGO

DEFENSAS MARÍTIMAS

terça, 09 de julho de 2019 às 09:37

Foto: Copaboinfra

Em nosso blog você encontrará muita coisa sobre o Comércio Exterior, pois gostamos de escrever sobre diversos assuntos que envolvam este tema: o Comex puramente dito, leis e regulamentações aduaneiras e tributárias, mas também falamos sobre curiosidades.

Hoje, falaremos sobre as “defensas” marítimas, você já ouviu falar? Sabe o que significa? 

Bem, vamos lá: a palavra “defensa” lembra defesa, não é mesmo? E é bem essa “função” da defensa marítima, pois são as peças, os elementos feitos de solas ou cabos, pneu, estopa ou outro material, normalmente de borracha de alta qualidade, para a segurança das instalações portuárias e embarcações marítimas, amarradas nos cais ou na própria embarcação, nos lugares mais salientes, para amortecer o impacto resultante do encontro destes numa atracação. São uma forma de escudo para a redução do atrito.

 

Existem vários modelos de defensas, abaixo listamos alguns: 

1) DEFENSA CILÍNDRICA: É o modelo mais utilizado, segundo os fabricantes, porque atende quase todos os tipos de embarcações.

 

Foto: https://www.aecweb.com.br/prod/cls/anuncios/pes_40755/Defensa-4-gran.jpg

 

2) DEFENSA EM ARCO: Este modelo geralmente é utilizado como complemento da defensa cilíndrica, atendendo a embarcações de pequeno e médio porte. A manutenção é praticamente nula, sendo considerado um dos melhores sistemas disponíveis.

 

Foto: http://www.pulsarmarine.com.br/pt/produtos/defensas-maritimas/arco

 

3) DEFENSA TIPO CÉLULA: Este tipo de defensa é indicado quando é necessário um elevado desempenho para suportar grandes painéis. De todos os modelos, é a que garante menor reação (ton/m²) da energia absorvida.

Foto: http://www.nauticexpo.com/pt/prod/trelleborg-marine-systems/product-22887-200588.html

 

4) DEFENSA CÔNICA: Em formato geométrico esta defensa é capaz de desviar maior quantidade de energia absorvida de qualquer direção.

 

Foto: https://www.ctborracha.com/wp-content/uploads/2015/02/Fig19-Cone-Fender.png

 

5) DEFENSA PNEUMÁTICA: Geralmente utilizada nas operações de transbordo navio/navio. Como principais características, destacam-se a baixa reação e a deflexão.

 

Foto 1: http://img.nauticexpo.com/pt/images_ne/photo-m2/69623-12216196.jpg

 

Foto 2: http://img.nauticexpo.com/pt/images_ne/photo-mg/22887-11756463.jpg

 

6) DEFENSA TIPO PERFIL: Esta defensa possui diversos formatos para atender desde navios de grande porte, até plataformas de produção, armazenamento e descarregamento de petróleo e gás. Substituem, com grande vantagem, as defensas pneumáticas, mesmo em locais de espaço limitado. As de formato em “D”, como da imagem por exemplo, podem ser utilizadas por rebocadores, pesqueiros e embarcações semelhantes, bem como em torno dos cais.

Foto: http://img.nauticexpo.com/pt/images_ne/photo-g/50152-8766133.jpg

 

7) DEFENSA TIPO RODA: Como o próprio nome diz, ela é constituída por uma ou diversas rodas, dependendo do lugar a ser colocado ou tipo de serviço. Este tipo é ideal para dirigir a embarcação em locais de pouco espaço, como diques, canais, eclusas e quinas de cais.

Resultado de imagem para defensa marítima tipo roda

Foto: https://www.taihoegroup.com/download/TMS.pdf

 

E aí, conta pra gente qual sua curiosidade no Comex?

 

Referências

Dicionário Básico. PORTUÁRIO. 3ª edição. Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina - Appa. (2016).

DEFENSAS MARÍTIMAS. Disponível em: <https://www.aecweb.com.br/emp/cont/m/defensas-maritimas-e-cabecos-de-amarracao-seguros-e-resistentes_37777_14478>. Acesso 17 out. 2018.

 

 

Por Janaina Rubia e Silva

Simplifique os seus negócios internacionais

Venha para a TWS Comex e tenha acesso a tudo isso 24 horas por dia através do TWS Gestão Online